Blog >

Gerencie tarefas e fluxos de forma eficaz por meio do Kanban

A gestão de tarefas em série, principalmente quando compartilhada entre várias equipes de trabalho, pode ser desafiadora. É necessário ter um controle estreito do fluxo de entrada e saída, tanto de materiais quanto de produtos; além disso, quando várias equipes trabalham em conjunto, suas tarefas devem ser sincronizadas para que haja adequação ao modelo just in time — tão valorizado atualmente. E é para suprir esses desafios que existe o Kanban.

Se você já procurou uma maneira de otimizar seu fluxo de produção, é possível que tenha se deparado com essa ferramenta. Por isso, separamos, a seguir, as principais características do Kanban, para que você entenda de uma vez por todas esse método. Vamos lá?

Como surgiu o Kanban?

Na década de 60, a economia estava em pleno vapor na recuperação pós-segunda guerra. Nesse cenário, começou a necessidade de atentar ao fluxo de produção — caso ele fosse muito acelerado, o estoque ficaria lotado e os produtos poderiam ficar defasados; no extremo oposto, se ele fosse lento demais, faltaria produto no mercado e a empresa perderia uma valiosa oportunidade.

Por isso, em meio à revolução industrial promovida pelo Toyotismo (sobre o qual falaremos mais detalhadamente em outra oportunidade), surgiu o Kanban. Ele auxilia o gestor a enxergar, de forma rápida e visual, toda a sua cadeia de produção. Com isso, é possível ter uma visão holística de cada processo da produção em série e saber exatamente como atuar. Falaremos sobre como ele funciona a seguir.

Como o Kanban funciona?

A palavra “Kanban” significa “cartão”, em tradução literal do japonês. Seu funcionamento é simples: ele é baseado em um quadro, com colunas que indicam as etapas de produção, e cartões que se inserem em cada uma dessas colunas.

As colunas classicamente são divididas em “a fazer”, “em produção” e “feito”, mas elas podem se adequar à realidade de cada empresa. Os cartões indicam qual processo está sendo feito ou realizado, podendo ser coloridos para indicar outras categorias (como urgência ou setor). Essa mescla entre simplicidade e flexibilidade é o que tornou o Kanban tão popular no mundo todo.

Hoje em dia, é menos usual que o Kanban seja realizado em um quadro físico, com post-its de verdade. As empresas já podem contar com softwares que fazem esse serviço, utilizando a mesma metodologia em um meio digital. A esses métodos, damos o nome de e-Kanban.

Quais os benefícios do Kanban?

O principal benefício do Kanban é aquele que levou à sua gênese: a visualização rápida e objetiva do status de cada processo dentro de uma cadeia de eventos em série. No entanto, é inegável que uma gestão visual desses processos leva a outros benefícios, sejam eles diretos, sejam eles indiretos.

Um exemplo prático é a visualização de prioridades de intervenção. Basta uma olhada rápida em um quadro de Kanban para perceber quais setores estão mais saturados, necessitando de maior atenção. Com isso, é possível direcionar recursos àquela área e equilibrar a cadeia de produção.

Alguns benefícios indiretos estão relacionados à redução de erros e à sua gestão otimizada. Dentre eles, destacamos uma administração de estoque mais eficaz, a redução de custos operacionais e a satisfação do cliente — que é influenciada por todos esses benefícios.

O Kanban ganhou seu espaço na gestão empresarial por ser um método simples e flexível. Com isso, sua implementação é fácil, bem aceita e pode se adequar às mais diversas necessidades das empresas. Com a transformação digital, é ainda mais fácil adequá-lo aos seus objetivos com o e-Kanban.

Se você gostou de saber mais sobre o Kanban, certamente, sua rede de contatos também se beneficiará. Por que não aproveita a oportunidade e compartilha este artigo em suas redes sociais? Até a próxima!

Fique por dentro das novidades