Blog >

O que significa DevOps?

O DevOps é uma tendência recente de arquitetura de aplicações cujo principal objetivo é trazer mais rapidez e qualidade para os projetos. Por isso, enquadra-se no grupo das “infraestruturas ágeis” ou das “operações ágeis”, visto que aplica a Metodologia Ágil aos fluxos de trabalho dentro do setor de desenvolvimento com o objetivo de tornar os processos mais enxutos. Apesar disso, não se resume ao ágil.

Por ser uma metodologia simples, mas muito complexa para quem está conhecendo o assunto agora, preparamos este post com as principais informações. Você conhecerá o seu conceito, seus princípios e os seus benefícios. Acompanhe!

O que é DevOps?

A primeira coisa que você deve saber é que o DevOps foi um passo além do Ágil tradicional e buscou uma compreensão maior das relações de colaboração entre o time de desenvolvimento e as demais equipes de operações. Desse modo, é possível ter uma maior integração em todas as fases do ciclo de vida de um projeto. Para entender melhor, vamos a um conceito de DevOps elaborado por um de seus principais evangelizadores, Jez Humble:

“é uma prática multidisciplinar dedicada ao estudo da construção, evolução e operação de sistemas resilientes que mudam rapidamente em escala”.

Ou seja, busca mudar o paradigma do setor de desenvolvimento, que, tradicionalmente, ficava isolado dos demais durante o projeto.

Agora, os gerentes de operações e o time de desenvolvimento trabalham juntos durante todo o ciclo de vida do projeto, desde as etapas mais precoces de elaboração de um plano estratégico e do design até o processo de programação e de suporte à produção. Para isso, são incorporados conhecimentos de muitas outras áreas, como a gestão de projetos, do controle de qualidade etc.

Quais são os princípios do DevOps?

Muitas pessoas se equivocam em reduzir o DevOps a um único objetivo, como “usar Kanban” ou “utilizar a automação”. Na verdade, é uma metodologia muito mais complexa, que inclui uma série de princípios conhecidos popularmente pelo acrônimo CALMS.

Cultura

O primeiro ponto é saber que o DevOps não é simplesmente uma ferramenta pontual, mas que demanda uma verdadeira mudança de cultura na sua empresa. O principal objetivo desse valor é trazer um ambiente de responsabilidade compartilhada, no qual todos os membros do projeto se engajam para seu sucesso global. Assim, é dado fim àquela ideia de que você só tem obrigação de fazer as suas tarefas e pronto.

Para que isso seja possível, a empresa precisa incentivar a comunicação entre o time de desenvolvimento e o das operações. Isso pode ser feito com fluxos de trabalho compartilhados, quebrando as barreiras setoriais. O gerente do projeto deverá buscar formas de alinhar os recursos humanos, os processos e as ferramentas com o foco na satisfação do cliente, superando as divisões tradicionais de áreas de conhecimento.

Essa tarefa não é simples, mas há várias aplicações digitais, atualmente, que contribuem para a implementação da cultura DevOps. Há apps que geram fluxos de trabalho, tarefas e projetos de acordo com o DevOps, facilitando a estruturação e a comunicação.

Automação

Nesse princípio, seu negócio busca maneiras de automatizar o maior número de tarefas quanto for possível. Desse modo, é viável implementar o que conhecemos como pipeline de entregas contínuas, isto é, acelerar os processos de criação de ferramentas e liberá-las para que o cliente as teste o quanto antes.

Esta é a medida que pode ser adotada em vez de esperar todo o produto ficar pronto: soltar vários pequenos releases e pedir a avaliação do cliente para implementar mudanças rapidamente.

A automação pode facilitar várias etapas do processo de desenvolvimento de um software, como:

  • a programação, pois permite a inserção automática de objetos prontos. Desse modo, o time pode enxertar vários pedaços de códigos prontos em apenas alguns cliques, evitando o retrabalho;
  • os testes, uma vez que várias metodologias tradicionais podem ser feitas pelas máquinas com pouquíssima intervenção humana;
  • a gestão do projeto, quando várias etapas de monitoramento de métricas, gerenciamento de tarefas e outras atividades importantes são executadas por softwares específicos da área.

Com a automação, portanto, é possível implementar o famoso CI/CD, isto é, integração contínua/entrega contínua. Isso garante que os dados, as compilações, os testes e as alterações no software sejam entregues em um ambiente propício para intervenções rápidas e sugestões de outros membros da equipe, de terceiros interessados, dos clientes e, em alguns casos, do usuário final.

Portanto, a automação do DevOps permite que algumas etapas tradicionais se tornem mais rápidas. Assim, as equipes passam a focar mais a execução de mudanças (depois dos testes e das sugestões) em vez da construção inicial da ferramenta, a qual pode ser feita mais rapidamente devido a processos automáticos. Enquanto, nas metodologias usuais, só havia modificações ao final dos longos processos de trabalho, no DevOps, elas são feitas constantemente em todas as etapas.

Lean (processos enxutos)

Aqui, estamos dentro da metodologia enxuta, ou seja, as organizações devem identificar seus gargalos a fim de mapear os fluxos de trabalho e a forma como eles podem ganhar mais eficiência. Para isso, é necessário buscar automatizar grande parte das etapas de documentação e de gerenciamento.

Por exemplo, ao gerir um projeto por meio de um software, ao final, é possível gerar um relatório automaticamente com todas as ocorrências. Assim, não é necessário que o gestor permaneça procurando os registros de cada setor ou funcionário para descobrir quais foram os desafios do projeto. Logo, algo que demorava dias fica pronto em alguns segundos.

Mensuração

A mensuração se refere à coleta contínua de dados para o monitoramento de métricas e indicadores de desempenho, performance e resultado. Com uma boa ferramenta, toda a coleta e os cálculos podem ser feitos pelas máquinas, poupando o tempo do gestor. Ao implementar esse princípio, você ganha maior visibilidade sobre os processos e pode implementar melhorias continuamente.

Sharing (compartilhamento)

A comunicação é a alma do DevOps. Os times e os clientes precisam ter canais de comunicação amigáveis, e o gestor deverá estimular o diálogo contínuo entre eles. Dúvidas, resultados parciais e opiniões podem e devem ser compartilhados a todo instante.

Quais são os benefícios de uma cultura DevOps?

São inúmeros os benefícios de uma cultura DevOps. Talvez, o mais imediato seja o ganho de agilidade, sendo possível reduzir bastante o tempo de implementação e de entrega de uma aplicação para seu cliente.

Além disso, a satisfação aumenta muito, visto que o próprio cliente participa ativamente do processo de construção da sua ferramenta. A todo o instante, ele é convidado a testar protótipos e dar sua opinião franca quanto ao atingimento de seus objetivos e se estão dentro do escopo inicial.

Portanto, para adotar o DevOps na sua empresa, o primeiro passo é a mudança de cultura. Nesse sentido, a comunicação e a cooperação devem ser incentivadas a todo o instante. Buscar a ajuda de um especialista em arquiteturas ágeis será importantíssimo. Assim, ele auxiliará todo o processo de treinamento, implementação de ferramentas, criação de fluxos de trabalho etc. Com essas medidas simples, você garante o sucesso da sua estratégia DevOps.

Fique por dentro das novidades